Campeões olímpicos e mais sete times avançam em classificatório

Publicado em: 14/09/2017 20:19

Em Campo Grande (MS) – 14.09.2017

Foram mais de 20 horas de viagem, mas a experiência e qualidade técnica de dois campeões olímpicos do vôlei de praia e quadra fizeram a diferença. Ricardo e o norte-americano William Priddy foram uma das sete duplas classificadas à fase de grupos da etapa de Campo Grande (MS) do Circuito Brasileiro de vôlei de praia nesta quinta-feira (14.09).

O classificatório foi disputado em partidas eliminatórias diretas, reunindo 32 duplas, que disputaram 24 partidas. Além de Ricardo/Priddy, avançaram também Eduardo Davi/Borlini (PR/ES), Fernandão/Ramon Gomes (ES/RJ), Marcus/Vinícius (RJ), Lipe/Fábio (CE), Raul/Álvaro Andrade (SE), Rafa/Igor Borges (PR/RJ) e Gabriel Mussi/Jonas Paixão (RJ).

Ricardo e Priddy fizeram o jogo mais aguardado e com maior público do dia. Eles superaram os capixabas Luciano e Vinícius (ES) por 2 sets a 0 (21/18, 21/13) no jogo que valia vaga. Antes, já haviam superado Bruno e Daniel Lazzari (SC) também em sets diretos. Ricardo analisou as vitórias e o retorno ao Circuito Brasileiro após quase um ano.

"Eu estou muito feliz em retornar ao Circuito Brasileiro. A minha última etapa foi em dezembro do ano passado. E voltar aqui em Campo Grande, onde venci na temporada passada, é ainda mais especial. O fato de estar jogando com o Priddy também é interessante, é uma experiência nova para os dois lados. Espero que possamos ter bons resultados na fase principal agora que conseguimos a classificação”, destacou o campeão olímpico de 2004, ao lado de Emanuel.

Já Priddy teve outros obstáculos além de um longo voo da Califórnia, onde mora, ao Brasil. Foram quase 30 horas e dois dias com febre alta. O campeão olímpico de vôlei de quadra em 2008 admite que chegou a pensar que não teria condições físicas de atuar.

“Estava bastante cansado e desgastado por conta da febre alta. O primeiro jogo foi bastante duro, mas estou melhorando cada vez mais. Depois de atuar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, me despedi das quadras e quis investir no vôlei de praia. Ter a oportunidade que a CBV me deu de disputar torneios aqui no Brasil, onde o nível é muito alto, será um grande aprendizado. Eu vim com o meu caderno em branco para poder aprender ao máximo”, disse Priddy, que com a seleção norte-americana levou bronze na Rio 2016.

“Desde que o Ricardo me convidou a jogar eu tenho evoluído bastante. Me sinto abraçado pelo voleibol brasileiro. Como não conheço a maioria dos atletas que jogam aqui, todo jogo será difícil. Fico feliz que passamos para o torneio principal, o que me dá mais possibilidade de jogar. É uma sorte muito grande poder vir aqui e continuar em atividade enquanto lá no meu país a temporada já acabou. E com o Ricardo me ajudando tenho certeza que conseguirei alcançar a minha meta que é estar em Toquio em 2020”, completou.

Quem também comemorou muito a classificação foi o carioca Igor Borges. O jovem de 19 anos conseguiu a vaga ao Open pela primeira vez na carreira, e vencendo um atleta da casa, Miguel, que contou com a torcida das arquibancadas. Ele não escondeu a emoção após o apito final.

“Foi um jogo duro, Miguel e Jefferson formam uma dupla forte, entrosada. E contaram com a torcida da casa, o que é natural. Tivemos tranquilidade para realizar uma boa partida. Estou muito feliz em poder estrear no Circuito Brasileiro, estar entre os melhores é um sonho que foi amadurecendo aos poucos e se tornou realidade agora”, disse.

Os oito times que conquistaram a vaga pelo classificatório se juntam aos 16 times que já estavam garantidos no torneio pelo ranking de entradas, formando seis grupos.

No torneio masculino, as 16 duplas já garantidas pelo ranking são Álvaro Filho/Saymon (PB/MS), Alison/Bruno Schmidt (ES/DF), Evandro/André Stein (RJ/ES), Pedro Solberg/George (RJ/PB), Vitor Felipe/Guto (PB/RJ), Oscar/Thiago (RJ/SC), Hevaldo/Arthur Lanci (CE/PR), Léo Gomes/Ferramenta (RJ), Gilmário/Bernardo Lima (PB/CE), Moisés/Bruno (BA/AM), Benjamin/Averaldo (MS/TO), Jô/Léo Vieira (PB/DF), Anderson Melo/Pedro Marins (RJ), Pedro Henrique/Felipe Cavazin (PB/PR), Jeremy/Harley (RJ/DF) e Allison/Márcio Gaudie (RJ).

As 24 duplas disputam a fase de grupos em seis grupos de quatro times. Os primeiros e segundos colocados de cada chave, além dos quatro melhores terceiros colocados vão para as oitavas de final. Desta etapa em diante o torneio segue em formato eliminatório direto até a decisão. A final feminina acontece na noite de sábado (16.09), enquanto a disputa do ouro no torneio masculino fica para a manhã de domingo (17.09).

O Circuito Brasileiro 2017/2018 é composto por sete etapas, três delas que ocorrem até o final deste ano, enquanto outras quatro serão realizadas em 2018, com cidades e datas a definir. Além de Campo Grande, o tour nacional passará por Natal (RN), de 18 a 22 de outubro, e Itapema (SC), de 15 a 19 de novembro.

A competição distribui R$ 45 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são quase R$ 500 mil por etapa. A novidade nesta temporada fica por conta da volta do classificatório e do aumento de duplas, passando de 16 para 24 times na fase de grupos da competição.

VEJA TODOS OS RESULTADOS DO DIA
http://www.aplicativoscbv.com.br/circuitobb/tabopen/tabelatodas.asp?site=26&sexo=m

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DIA
http://2017.cbv.com.br/galeria/1937/campo-grande-ms---14.09.2017---open

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro