Evandro/Bruno Schmidt vence Alison/Álvaro e leva título em Ribeirão Preto

Publicado em: 24/11/2019 11:51

A parceria formada por Evandro e Bruno Schmidt (RJ/DF) venceu na manhã deste domingo (24.11) a etapa de Ribeirão Preto do Circuito Brasileiro Open de vôlei de praia da temporada 2019/2020. O time comandado pelo técnico Ednilson Costa, o ‘Ed’, superou na final do torneio masculino Alison e Álvaro Filho (ES/PB) por 2 sets a 0 (21/12, 23/21) e conquistou o terceiro título da dupla formada em fevereiro deste ano e classificada aos Jogos Olímpicos de Tóquio. O bronze ficou com Arthur e Adrielson (MS/PR).

A próxima etapa do Circuito Brasileiro, após as pausas de final de ano, ocorre em João Pessoa (PB), de 22 a 26 de janeiro, na Praia de Cabo Branco. Será a quarta de sete etapas que compões a temporada 2019/2020, sempre passando por cidades diferentes, e sempre com entrada gratuita ao público e transmissão ao vivo de todas as partidas.

ASSISTA AS ENTREVISTAS COM OS CAMPEÕES DA ETAPA 

A final em Ribeirão Preto foi disputada entre os dois times que representarão o Brasil nos Jogos Olímpicos de 2020. Os times haviam se enfrentado somente uma vez anteriormente, com vitória de Alison e Álvaro em etapa do Circuito Mundial. A conquista ainda foi mais especial para Evandro, que, fanático pelo Flamengo, celebrou o título da Copa Libertadores com o time coração no último sábado, momentos antes da semifinal.

"Um torneio melhor seria impossível, o que vivi aqui neste fim de semana foi fantástico. Estou muito feliz com o trabalho que fizemos neste ano, foram muitos sacrifícios. O Bruno ficou praticamente sem ter férias, se lesionou. Tivemos percalços, mas conseguimos o primeiro objetivo, que era a classificação olímpica. Viemos para Ribeirão muito desgastados, mas demos o nosso máximo e encerramos a temporada muito bem. E ainda tive a vitória do meu time de coração, me deixou muito feliz, minha mãe feliz. Eu vou voltar para o Rio de Janeiro para curtir esse momento e depois quero aproveitar as férias", celebrou.

A campanha de Evandro e Bruno Schmidt em Ribeirão Preto contou com seis vitórias em seis jogos. Bruno Schmidt fez um balanço do ano, lembrou que sofreu uma lesão no meio da corrida olímpica e que mesmo com todos os percalços, o time alcançou os objetivos.

"A torcida ama nosso show em quadra, mas tem muitas coisas por trás. Foi um ano duro, de aprender, trabalhar. Tirei o Evandro da posição em que ele estava acostumado a jogar, ele está sendo muito exigido. Eu ainda estou me recuperando de uma lesão no joelho, ainda não estou na minha forma ideal e o Evandro está sendo muito paciente com isso”, disse Bruno

“Achei legal o modo que nós lidamos com isso, nossa comissão técnica me deu tempo para recuperar mais e jogar em alto nível, respeitaram meu corpo e pudemos estar aqui nesta final. A decisão seria um jogão, nós temos o circuito nacional mais forte do mundo. Alison é um atleta incrível, dispensa comentários, o Álvaro tem muita habilidade e energia e para vencê-los é necessário dar nosso máximo, fomos felizes”, completou.

A medalha de bronze da etapa ficou com jovens revelações do vôlei de praia brasileiro, Arthur e Adrielson (MS/PR), de 22 anos. Eles superaram na disputa por um lugar no pódio Thiago e Guto (SC/RJ) por 2 sets a 0 (21/16, 21/15).  Arthur, que treina na Associação Maringaense de Vôlei de Praia (AMVP), com o técnico Robson Xavier, celebrou muito com a família. Os pais do atleta viajaram oito horas de carro para acompanhá-lo na etapa.

"É uma recompensa para nós que treinamos todos os dias, e uma recompensa para eles, que vieram de longe me ver. Meu pai fala que o sonho dele é viajar me acompanhando no Circuito, e hoje ele conseguiu, tomara que possamos viver mais isso, estou buscando evoluir cada vez mais. Nada pode explicar mais o sucesso que o trabalho duro, acreditar no que se faz. Tem muitas pessoas que acreditam em mim e isso me motiva", destacou.

O Circuito Brasileiro Open de vôlei de praia é composto por sete etapas, em sete estados diferentes. A estreia do tour aconteceu em Vila Velha (ES), em setembro, com ouro para Ágatha/Duda (PR/SE) e André Stein/George (ES/PB). Em Cuiabá, no mês passado, os títulos ficaram com Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) e Alison/Álvaro Filho (ES/PB).

Além das duplas campeãs de cada etapa, também existem os campeões gerais da temporada, somando a pontuação obtida nos sete eventos. Cada etapa do Circuito Brasileiro distribui R$ 46 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos mais de R$ 500 mil por etapa.

Ribeirão Preto (SP) anteriormente havia recebido duas etapas do Circuito Brasileiro. A primeira, em 1995, teve como vencedores Zé Marco/Emanuel (PB/PR) e Karina/Renata (RJ). Depois, em 2004, Ricardo/Emanuel (BA/PR) e Sandra/Ana Paula (RJ/MG) foram as vencedoras.  A cidade também recebeu uma etapa de outro torneio, o Circuito Challenger, em 2014, com títulos para Duda/Carolina Horta (SE/CE) e Lipe/Beto Pitta (CE/RJ).

VEJA A GALERIA DE FOTOS DO DIA
https://2018.cbv.com.br/galeria/2245/ribeirao-preto-sp---24.11.2019---finais-circuito-brasileiro-open

VEJA OS RESULTADOS DO DIA
http://www.aplicativoscbv.com.br/circuitobb/tabopen/tabelatodas.asp?site=48&sexo=m

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro