Conselho de Administração da CBV define antecipar parte da premiação aos atletas de vôlei de praia

Publicado em: 24/04/2020 14:09

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) – 23.04.2020

A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) decidiu nesta semana, em reunião do Conselho de Administração com a participação da Comissão Nacional de Atletas de Voleibol de Praia e de Voleibol de Quadra, membros efetivos do Conselho, disponibilizar uma antecipação de parte das premiações das etapas de vôlei de praia que foram adiadas por conta da COVID-19. O apoio será opcional aos 120 atletas (60 de cada gênero) mais bem colocados no ranking individual da temporada 19/20 do Circuito Brasileiro Open.

A antecipação dos valores é referente a duas etapas do Circuito Brasileiro que estavam programadas para acontecer em abril e maio, no Rio de Janeiro (RJ) e Itapema (SC). Os atletas poderão efetuar a devolução do valor até o dia 30 de novembro de 2020, de forma parcelada, que deverá ser formalizada através de um instrumento jurídico entre as partes, atendendo as normas de governança e ‘compliance’ da Entidade.

Durante a reunião, foi informado à Comissão de Atletas que os eventos continuam previstos no calendário para serem realizados ainda este ano. Assim, os valores que seriam utilizados para as etapas não constituem um ‘saldo’ no caixa, pois deverão ser devolvidos caso os torneios não aconteçam. O Superintendente de vôlei de praia da CBV, José Virgílio Pires, comentou a decisão.

“A CBV foi procurada pela Comissão de Atletas com uma proposta para ajudarmos os jogadores do vôlei de praia. Neste momento, temos total sensibilidade em relação à situação destes atletas que têm, na maioria das vezes, seu rendimento financeiro ligado diretamente aos eventos, que no momento estão paralisados. Como forma de minimizar a situação de dificuldade, a CBV fez uma análise financeira e está antecipando um valor igual aos 120 atletas de acordo com o ranking da temporada, sendo 60 atletas em cada naipe. Antecipando parte da premiação, pois nossos eventos não estão cancelados. Eles foram adiados e, quando as autoridades governamentais autorizarem, serão realizados. Entendemos que não é o ideal, mas é o máximo que a instituição pode fazer no momento, e sabemos que irá minimizar e muito a situação de vários atletas”, disse. 

Na reunião também ficou estipulado que a construção do novo calendário referente ao ano de 2020 contará com a participação da Comissão Nacional de Atletas de Voleibol de Praia. Até o final de 2020 estão previstos quatro eventos Open, um Superpraia, que poderá ser transformado em Open, e quatro etapas dos Challengers. O presidente da Comissão de Atletas de Voleibol de Quadra, o levantador Raphael Oliviera também analisou a possibilidade de antecipação das premiações.

“Foi muito bom poder participar da reunião, contribuir de alguma forma, e perceber como a CBV está imbuída nesta causa. Em buscar a melhor solução possível, e de maneira rápida para os atletas de vôlei de praia. Parabenizo todos que estão envolvidos em se disponibilizar a encontrar as medidas para os jogadores”, declarou.

A primeira parcela da antecipação, no valor de R$ 2 mil, será paga no próximo dia 11 de maio, e segunda parcela, de mesmo valor, no dia 10 de junho. A proposta foi aprovada por unanimidade pelo Conselho de Administração. O atleta carioca Léo Gomes elogiou os esforços das partes para buscar uma alternativa no momento de crise.

“A união entre as partes, a Confederação, os atletas, técnicos, Comissão de Atletas representadas por Emanuel e Raphael, foi muito importante para tentar chegar ao melhor cenário para todos. Além do adiantamento, a possibilidade de parcelar essa quitação em três vezes, sem juros, dá um fôlego para os atletas se organizarem minimamente. É um valor que fará muita diferença, muitos tem como salário as premiações dos torneios. Acredito que vai ajudar demais neste primeiro momento de crise, foi uma atitude muito bacana de todos os envolvidos dentro das possibilidades atuais”, disse Léo Gomes. 

A atleta catarinense Josi Alves, que se reuniu com a integrantes da CBV e participou do processo, apresentando sugestões, analisou a decisão aprovada pelo Conselho.

"Tivemos as primeiras reuniões há cerca de um mês, junto de alguns treinadores da modalidade - Ednílson Costa, Letícia Pessoa, Ricardo Freitas e Renato França -, solicitamos uma conferência e dias depois apresentamos uma proposta de apoio feita com participação de atletas. A CBV informou que a proposta infelizmente não era viável, e o Conselho de Administração decidiu pela alternativa de antecipar a premiação neste valor máximo de R$ 4 mil”, disse Josi, que finalizou dizendo: “penso que a CBV fez o que era viável no momento, não conseguimos o que queríamos, que seria o auxílio, mas certeza essa antecipação ajudará muitos atletas".

Estavam presentes na reunião os seguintes membros do Conselho de Administração: Walter Pitombo Laranjeiras, presidente da CBV, Emanuel Rego, presidente da Comissão Nacional de Atletas de Voleibol de Praia, Raphael Oliveira, presidente da Comissão Nacional de Atletas de Voleibol de Quadra, Carlos Reinaldo Pereira Souto, representante da região Sudeste, Dante Klaser, representante da região Sul, Celso Luiz Assumpção, representante da região Nordeste, João Petrolitano, representante da região Norte, Nicanor Lopes dos Reis Filho, representante da região Centro-Oeste, Walgren Tadeu Picanço e Roberto Fernandes Barbosa, ambos representantes das Federações Estaduais. 

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro