Terceira etapa masculina começa com classificação de estreantes

Publicado em: 12/11/2020 21:11

Um dia de forte calor e muitas emoções em quadra. Assim foi a quinta-feira (12.11) para as duplas masculinas que disputaram o qualifying da terceira etapa Open do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia 20/21. A competição começou com 20 times em busca das quatro vagas restantes na chave principal. Na arena montada no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ) 16 partidas movimentaram a rodada, que terminou com Maia/Vinícius (RJ), Gabriel Gouveia/Luccas Amorim (RJ/DF), Mateus Dultra/Lucas Sampaio (CE/RJ) e Samuel/Nico (SC) classificados.

O campeonato, que é realizado seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, não conta com público presente, mas todas as partidas são transmitidas pelo Canal Vôlei de Praia TV (http://www.voleidepraiatv.cbv.com.br/) e pela página da CBV no Facebook. 

A primeira parceria a garantir a classificação foi Maia e Vinícius (RJ). A dupla carioca entrou em quadra duas vezes e venceu no tie-break em ambas as partidas. Primeiro passaram por Luccas Lima/Julio Cesar (SP) (21/19, 25/27 e 15/10). Mais tarde Maia e Vinícius levaram a melhor sobre Luciano/Léo Vieira (ES/DF) (21/23, 21/19 e 16/14). Ao final do segundo duelo Maia se emocionou com a vaga, que só veio na terceira etapa desde que a dupla retornou.

“Nós estamos nos dedicando muito a cada treino, o CT 021 está acreditando na gente. Eu fiz uma grande temporada no ano passado e estava querendo muito retomar os bons resultados. Jogamos mal na última etapa, mas desta vez viemos mais focados e com muita vontade. A estrutura aqui é incrível, é bom saber que poderemos jogar mais ainda”, disse Maia.

A segunda dupla garantida foi Gabriel Gouveia e Luccas Amorim (RJ/DF). A parceria foi formada dias antes da competição e, pelo ranking, tiveram que jogar três partidas até garantir a classificação. O último jogo, valendo a vaga, foi contra Leonam/Patrick (PB/PR), e eles venceram por 2 sets a 0 (21/15 e 21/12). Gabriel, tem o vôlei no DNA, ele é filho do campeão olímpico Carlão, falou sobre o bom entrosamento com o parceiro recente.

“Está muito calor. Não estou há tanto tempo treinando assim como a rapaziada, acabei de voltar, e, no primeiro torneio ter esse resultado já. Óbvio que ainda tem muito torneio pela frente, mas a gente ganhou um torneio hoje, isso é um torneio para mim, separado do torneio normal. A gente pegou duas duplas que vinham passando de todos os qualifyings, jogo tranquilo, a gente jogou bem. Não sei como rolou esse entrosamento, a gente se entendeu muito como pessoa mesmo, e foi”, falou o jovem atleta que também contou sobre o apoio do pai.

“Se tem uma pessoa que sempre acreditou em mim foi meu pai. De todo mundo que sempre me deu força, meu pai nunca deixou de me dar. É um cara que sempre está por trás de mim em tudo, sempre fala comigo, sempre pergunta, comemora mais que eu quando eu ganho. Não tenho nem palavras para ele, de verdade. Ele é meio ‘bravão’ do jeito dele, mas o ele está sempre comigo, sempre falando que eu sou o melhor e que vai dar certo”, completou Gabriel.

Mateus Dultra e Lucas Sampaio (CE/RJ) foram a terceira dupla a conseguir um lugar na chave principal. Eles se juntaram após os respectivos testarem positivo para COVID-19 e ficarem impossibilitados de jogar. Apesar do improviso, a dupla apresentou química para vencer os dois duelos que disputaram. Primeiro, vitória sobre Márcio Gaudie/Ânderson Melo (RJ) por 2 sets a 0 (21/16 e 25/23). Na partida seguinte eles superaram Pedro/Ferramenta por 2 sets a 0 (21/16 e 24/22). Empolgado com a primeira classificação na carreira, Mateus lembrou do pai, o ex-jogador Juca, que é o apoiador número um do jovem atleta.

“Nossa química funcionou muito bem. Foi tudo em cima da hora, nos juntamos por já estarmos aqui e deu certo. Agradeço ao pessoal do CT Carol e â minha família, principalmente meu pai, o Juca, que já jogou e me passa um pouco da experiência dele. Eu já tive chances de me classificar antes, mas não deu certo, e hoje eu consegui. Estou muito feliz”, comentou Mateus.

A última vaga de acesso ao torneio principal ficou com uma dupla estreante no Circuito Brasileiro. Samuel e Nico (SC) disputaram pela primeira vez na carreira um evento Open e conseguiram passar pelo qualifying. Por não terem pontos suficiente eles contaram com um convite da CBV (wild card), e precisaram jogar três rodadas. Na última partida venceram Jeferson/Felipe (CE/DF) (16/21, 27/25 e 15/13). Após a classificação, Nico falou sobre a experiência inédita e como a dupla se formou.

“Nossa parceria vem de um pouco mais de um ano. Eu convidei o Samuel para bater bola e desde então a gente formou o time, começamos a jogar os campeonatos de base. E como esse ano, em razão da pandemia, os torneios não foram realizados, nos resolvemos tentar o Circuito Brasileiro. Só ter vindo aqui e jogar o qualifying já foi uma experiência incrível. Vamos trabalhar para continuar neste caminho, crescendo e amadurecendo”, contou Nico.

O torneio principal começa nesta sexta-feira (16.10), a partir das 8h, com 20 equipes divididas em cinco grupos. Além das quatro parcerias classificadas hoje, já estavam garantidos 16 times pela posição no ranking de entradas: Alison/Álvaro Filho (ES/PB), André/George (ES/PB), Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF), Guto/Arthur Mariano (RJ/MS), Vinícius/Vítor Felipe (ES/DF), Hevaldo/Saymon (CE/MS), Renato/Adrielson (PB/PR), Allison Francioni/Fábio (SC/CE), Oscar/Thiago (RJ/SC), Marcus/Felipe Cavazin (RJ/PR), Bruno/Jô (AM/PB), Fernandão/Harley (ES/DF), Adelmo/Luciano(BA/ES), Bernardo Lima/Eduardo Davi (CE/PR), Lipe/Rafa (CE/PR) e Averaldo/Matheuszinho (TO/SE).

Os quatro melhores primeiros colocados dos cinco grupos vão direto às quartas de final, enquanto o primeiro colocado com pior campanha disputa a repescagem junto dos cinco segundos colocados e dos dois melhores terceiros. Desta fase em diante, a competição segue no formato eliminatório direto até as disputas de medalha.

Protocolo de prevenção 

Todos os atletas realizam um teste inicial para COVID-19 antes da competição. O resultado é enviado à CBV e, só diante disso, confirmada a inscrição. Um dia antes da estreia na competição, os atletas chegam a Saquarema, respondem a um questionário sobre sintomas, aferem a temperatura, oximetria e realizam um novo teste de COVID-19. 

Em caso de mais um resultado negativo, o atleta entra na disputa. A partir do momento em que entra no CDV, o atleta só sai após a eliminação ou no último dia para retorno. O protocolo é exatamente o mesmo com todos os envolvidos: comissões técnicas, arbitragem, fornecedores, colaboradores do CDV, e em todo o staff da CBV. 

A quarta parada será de 19 a 22 de novembro (feminino) e 26 a 29 de novembro (masculino), também no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV).

CONFRONTOS

Grupo A

Alison/Álvaro Filho (ES/PB) x Nico/Samuel (SC) – 9h40

Marcus/Felipe Cavazin (RJ/PR) x Bruno/Jô (AM/PB) – 9h40

Grupo B

André/George (ES/PB) x Gabriel Gouveia/Luccas Amorim (RJ/DF) – 8h50

Oscar/Thiago (RJ/SC) x Fernandão/Harley (ES/DF) – 8h50

Grupo C

Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF) x Matheus Dultra/Lucas Sampaio (CE/RJ) – 10h30

Allison Francioni/Fábio (SC/CE) x Bernardo Lima/Eduardo Davi (CE/PR) – 10h30

Grupo D

Guto/Arthur Mariano (RJ/MS) x Maia/Vinícius (RJ) – 11h20

Renato/Adrielson (PB/PR) x Lipe/Rafa (CE/PR) – 11h20

Grupo E

Vinícius/Vitor Felipe (ES/PB) x Averaldo/Matheuszinho (TO/SE) – 8h

Hevaldo/Saymon (CE/MS) x Adelmo/Luciano (BA/ES) – 8h

TABELA DE JOGOS

GALERIA DE FOTOS

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro